Segundo a nota, a RCC esclarece que a decisão foi unânime dos conselheiros

MACAPÁ (AP) | Blog | Atualizado 17.10.2018 – 20h30

A Renovação Carismática Católica do Brasil, através do seu Conselho Nacional, divulgou nesta quarta-feira, 17, no de esclarecimento referente ao 2º turno a eleição à presidência da república, no próximo dia 28. Segundo a nota, a RCC Brasil “esclarece aos carismáticos, e a quem possa interessar, que não apoia qualquer dos candidatos à presidência da república”.

O posicionamento do Conselho ressalta que o “voto é uma decisão pessoal, de foro íntimo, que deve ser submetido ao discernimento individual e aos valores coerentes com o Evangelho”.

Sem explicar a motivação de apresentar o esclarecimento, a nota motiva os carismáticos a não deixarem de exercer seu direito de votar e incentiva ao voto válidos, não votando nulo ou em branco. De acordo com o Conselho da RCC, desta forma “seremos verdadeiros cristãos, agentes de transformação na sociedade”.

O Conselho Nacional da RCC esteve reunido em assembleia ordinária em setembro deliberando sobre questões relativas as iniciativas do movimento eclesial.

Confira a nota na íntegra

Caríssimos irmãos e irmãs,

O Conselho Nacional da RCCBRASIL (Renovação Carismática Católica do Brasil), instância responsável pelos direcionamentos oficiais da RCC em âmbito nacional, esclarece aos carismáticos, e a quem possa interessar, que não apoia qualquer dos candidatos à presidência da república. Não houve apoio no 1° turno das eleições e não haverá no 2° turno, conforme decisão unânime dos conselheiros. O voto é uma decisão pessoal, de foro íntimo, que deve ser submetido ao discernimento individual e aos valores coerentes com o Evangelho de Jesus Cristo e aos ensinamentos da santa Igreja Católica Apostólica Romana.

Convocamos os carismáticos de todo o país a se colocarem em oração por uma nova efusão do Espírito Santo sobre o Brasil e suas instituições, e a serem, neste momento de polarização, instrumentos de amor, alegria, paz, paciência, afabilidade, bondade, fidelidade, brandura e temperança (Cf. Gl 5, 22-23).

A RCCBRASIL convoca todo carismático para que não se abstenha de seu compromisso com o Brasil. Não deixe de votar; não vote nulo ou em branco. Com isso, seremos verdadeiros cristãos, agentes de transformação na sociedade, tornando a democracia brasileira mais forte e soberana.

Vitória-ES, 17 de Outubro de 2018

 

Série de vídeos tem participação de pioneiros e expoentes da Renovação Carismática no país

Macapá (AP) | Blog | Atualizado em 27.12.2018 – às 11h44

A história do cristianismo e da Renovação Carismática, os acontecimentos históricos antecedentes dentro e fora da Igreja ao encontro de Duquesne e o testemunho dos pioneiros e grandes nomes da RCC no Brasil em um documentário produzido pela Rede Século 21 em comemoração aos 50 anos da presença da corrente de graça na Igreja do Brasil.

Os vídeos estão disponíveis no Youtube e podem ser acessados de forma gratuita. Trata-se de uma oportunidade de conhecer a história de uma dos maiores movimentos católicos da atualidade.

História da Renovação Carismática Católica – 02/12/18 – Parte 1

História da Renovação Carismática Católica – 09/12/18 – Parte 2

História da Renovação Carismática Católica – 16/12/18 – Parte 3

História da Renovação Carismática Católica – 23/12/18 – Parte 4

 

 

Novo serviço para a RCC foi criado em 8 de dezembro e novos responsáveis assumem no Pentecostes de 2019

Macapá (AP) | Blog – com Dicastério Leigo,Familia e Vida | Atualizado em 18.12.2018 – Às 17h37

O Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida da Santa Sé reuniu nesta segunda-feira, 17, no Vaticano, com os delegados nomeados pelo Papa Francisco no último dia 8 de zembro para o Serviço Internacional de Comunhão para a promoção da Renovação Carismática na Igreja Católica, denominado Charis.

Na reunião, foi entregue aos participantes o decreto de nomeação do primeiro moderador, dos membros do serviço internacional  e do assistente eclesiástico do novo corpo de serviço internacional. O encontro foi conduzido pelo prefeito do dicastério, cardeal Kevin Farrell, e contou com a participação do moderador nomeado de Charis, Jean-Luc Moens, o assistente eclesiástico de Charis, Frei Raniero Cantalamessa e outros membros nomeados para o serviço.

Participaram também os atuais presidentes do International Catholic Charismatic Renewal Service (ICCRS),  Jim Murphy (USA), e da Catholic Fraternity of Charismatic Covenant Communities and Fellowships, Gilberto Barbosa (Brasil).

O comitê responsável pela preparação do estatuto do Charis composto por Michelle Moran, Pino Scafuro, Oreste Pesare e Julia Elena Torres também esteve presente.

A presidente da RCC explica que a graça do batismo no Espírito Santo é renovada no coração e na vida dos que participam do Congresso


Cachoeira Paulista (SP) / CANÇÃO NOVA – Começa nesta quinta-feira, 7, em Aparecida (SP), a 32ª edição do Congresso Nacional da Renovação Carismática Católica (RCC). O evento que deve reunir até três mil pessoas vai até domingo, 10.

A Presidente do Conselho Nacional da Renovação Carismática do Brasil, Katia Roldi Zavaris, explica que um dos frutos desses eventos é reinflamar a identidade da RCC.

“A graça do batismo no Espírito Santo é renovada no coração e na vida de todos aqueles que participam do Congresso, e também na vida do movimento de um modo geral. Todas as vezes que estamos reunidos, o Senhor derrama sobre nós o Espírito Santo.”

Segundo ela, o Congresso é ainda uma oportunidade para celebrar a unidade do movimento em todo Brasil.

A programação conta com a presença de Patti Mansfield, uma das pioneiras da RCC no Mundo, e do arcebispo de Belém do Pará e assessor eclesiástico da RCC no Brasil, Dom Alberto Taveira. No evento, será celebrado também o Jubileu de Prata de vida episcopal de Dom Alberto.

Ano da Misericórdia

O tema central “Eterna é a sua Misericórdia”, está inserido no contexto do Ano Jubilar proclamado pelo Papa Francisco. Kátia Zavaris explica que a partir do direcionamento que está na Bula de Proclamação do Jubileu Extraordinário da Misericórdia, a RCC tem direcionado seus membros a adotar um estilo de vida de misericórdia.

“Em tudo que fazemos, nas orientações, pregações, formações, estamos direcionando o povo a ter atitudes de misericórdia. É um ano de grande transformação interior e exterior, a partir das obras de misericórdia espirituais e corporais.”

Jubileu de Ouro

A Renovação Carismática Católica celebra em 2017 Jubileu de Ouro, 50 anos do seu nascimento que começou durante um retiro de final de semana na Universidade Duquesne, nos Estados Unidos.

Embora a celebração seja no ano que vem, a preparação para viver o Jubileu já começou. Aqui no Brasil, em comunhão com o Serviço Internacional da Renovação Carismática Católica (ICCRS), a RCC lançou um tríduo no Encontro Nacional de Formação 2015.

“Este derramamento do Espírito Santo que aconteceu oficialmente em fevereiro de 1967 nos EUA, com um grupo de jovens que se reuniu para um retiro de final de semana, aconteceu também uma experiência profunda com o amor de Deus, e partir dessa experiência do amor de Deus o reconhecimento de que Jesus é o Senhor. Durante todos esses anos fazemos memória dessa graça que se espalhou pelo mundo inteiro”.

Para celebrar o Jubileu em nível internacional, o Papa Francisco convocou a Renovação Carismática do mundo inteiro para estar com ele na Praça de São Pedro na Festa de Pentecostes de 2017. Kátia Zavaris explica que este encontro com Francisco será o ápice da celebração. Somente do Brasil, mil pessoas já estão inscritas para participar.

Já aqui no Brasil, a RCC e a Fraternidade Nacional estão preparando uma festa de 29 de junho a 02 de julho para celebrar o Jubileu.

Em vídeo, dom Alberto tranquiliza os fiéis a respeito do tratamento e pede orações

MACAPÁ (AP) | Blog | Atualizado em 20.11.2018 – 14h08

A arquidiocese de Belém do Pará comunicou nesta terça-feira, 20, que o arcebispo metropolitano dom Alberto Taveira Corrêa foi diagnosticado com um coágulo na cabeça. Segundo o comunicado, “O tratamento está sendo realizado via medicamentos”, obrigando assim, por “orientações médicas” a “redução de atividades e repouso”.

Segundo a arquidiocese de Belém, o diagnóstico obtido após exames de rotina realizados pelo arcebispo. “Pedimos a compreensão e colaboração de todos pela diminuição dos compromissos e atendimentos que o Arcebispo normalmente realiza”, continua o comunicado.

No vídeo divulgado junto com o comunicado, dom Alberto tranquiliza os fiéis garantindo a normalidade dos acontecimentos e agradece o apoio do rebanho. Além de arcebispo de Belém, dom Alberto é o assessor eclesiástico da CNBB para a Renovação Carismática Católica do Brasil (RCC Brasil) e até 8 de dezembro assessora a Fraternidade Católica Internacional (Catholic Fraternity), exerce ainda atividade como vice-presidente do Regional Norte 2 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBBN2).

Comunicado

A Arquidiocese de Belém do Pará torna público que o Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira Corrêa, foi diagnosticado, após exames de rotina, com coágulo na cabeça. O tratamento está sendo realizado via medicamentos, bem como orientações médicas para redução de atividades e repouso.

Pedimos a compreensão e colaboração de todos pela diminuição dos compromissos e atendimentos que o Arcebispo normalmente realiza, devido as recomendações pelo corpo médico que o acompanha.

Unidos em orações rogamos as bênçãos de Deus e intercessão de Nossa Senhora pela saúde e rápida recuperação de nosso pastor.

Belém, 20 de novembro de 2018.

Alan Monteiro da Silva
Assessor de Comunicação Social
Arquidiocese de Belém do Pará

Confira o vídeo.

Tema nacional será meditado nos encontros

MACAPÁ (AP) | Jefferson Souza para Pascom | Atualizado 12.09.2018 – 14h14

Com o tema “Eis que estou à porta e bato!” (Ap 3, 20a), a Renovação Carismática Católica do Amapá (RCC) realiza em setembro dois congressos municipais. Os eventos reunirão carismáticos em Macapá e em Santana para momentos de oração, reflexão das Escrituras Sagradas, shows de evangelização e missas.

A capital Macapá sedia o primeiro evento nos dias 14, 15 e 16. A abertura do Congresso Municipal de Macapá acontece na sexta-feira, 14, com o “Abba Fest”, noite com apresentação de bandas católicas locais e música eletrônica também religiosa. A festa acontece no Salão da Paróquia São Benedito, no bairro do Laguinho, a partir das 19h.

Nos dias 15 e 16, o congresso tem como sede a quadra Antônio Cocco, na Paróquia Nossa Senhora da Conceição, bairro do Trem. Cerca de 25 grupos de oração de toda a cidade devem participar do evento, que também é aberto a pessoas não pertencentes ao movimento.

Na programação, está confirmada a participação do missionário da Renovação Carismática Católica de Goiânia Dercides Pires, que será um dos pregadores do evento. Essa é a primeira edição do Congresso Municipal da RCC em Macapá.

Para participar do evento, os interessados devem fazer suas inscrições antecipadas nos grupos de oração da RCC nas paróquia e comunidades de Macapá, no valor de R$ 25. No local, haverá venda de lanche e almoço para os participantes.

Foto: Divulgação RCC Amapá

Em Santana, o Congresso Municipal da RCC (Comus) acontece no dia 23, no Auditório da Escola Estadual Augusto Antunes, bairro Central. O congresso inicia às 8h30 e terá a participação dos membros dos cinco grupos de oração da cidade.
O Comus terá a presença dos pregadores locais da RCC Amapá, Ribene Almeida, Isabel Viana e Hugo Gomes. Esta é a segunda edição do evento no município santanense e, este ano, a entrada é gratuita.

Nos dois eventos, as crianças também terão a oportunidade de momentos de evangelização alternando as atividades de oração e reflexão da Palavra de Deus com brincadeiras e animação.

 

Congresso Municipal
Realizado a cada dois anos, o Congresso Municipal da RCC constitui um evento que reúne os grupos locais para momentos de vivência da espiritualidade carismática. Em 2018 o primeiro da série de Congressos Municipais aconteceu no município de Itaubal. Os carismáticos de Laranjal do Jari e região também realizarão o evento neste segundo semestre.

Tema
O tema “Eis que estou à porta e bato! (Ap 3, 20a)” foi proposto pelo Conselho Nacional da Renovação Carismática no Brasil (RCC Brasil) em vista da continuidade e da unidade em suas atividades em cada grupo de oração direcionando assim as ações desenvolvidas, alinhando sempre com a realidade da Igreja Local.

Dia marca o envio do Espírito Santo sobre os discípulos de Jesus

MACAPÁ (AP) – [Por Jefferson Souza] – Cerca de 200 pessoas participaram neste domingo, 20, do Encontro de Pentecostes promovido pela Renovação Carismática Católica do Amapá (RCC Amapá). O evento aconteceu no auditório do Museu Sacaca num clima de alegria e clamores.

“Hoje é nosso dia de celebrar, festejar a presença do Espírito Santo entre nós”, disse a presidente do Conselho Diocesano da RCC Amapá, Monica Torrinha, na abertura do evento. “Nós nos preparamos estes dias para celebrar Pentecostes”, recordou a presidente.

O primeiro momento do encontro foi marcado por cantos e orações devocionais ao Espírito Santo através de uma novena recordando a importância do dia de Pentecostes, celebrado 50 dias após a ressurreição de Jesus na Páscoa, segundo a tradição cristã.

 

Um dos tradicionais hinos da Igreja Católica foi entoado pelos participantes com empolgados petições e clamores “para o derramamento do Espírito Santo”.

Conversão e Vida Nova

O pregador Zaqueu Pontes faz a reflexão bíblica sobre o tema “Conversão Sincera”. Foto: Jefferson Souza

Nos momentos dedicados para a pregação e reflexão bíblica, os palestrantes destacaram os aspectos da necessidade da conversão e vida nova dos fiéis.

Segundo o primeiro pregador da tarde, Zaqueu Pontes, “conversão significa mudança de procedimento do mal para o bem, uma mudança radical de vida”, explicou. Para o pregador, conversão também é “mudança de intelecto, de emocional, mudança interior provocada pelo encontro pessoal com Jesus”, disse ao participantes do encontro.

Ao fim da mensagem os fiéis foram convocados a oração penitencial colocando-se  arrependidos diante de Deus com o desejo de mudar de vida.

O tema central do encontro “Necessário vos é nascer de novo”, baseado no Evangelho de João, foi ministrado por Monica Torrinha. Recordando as palavras que Jesus falou ao fariseu Nicodemos, a presidente convidou ao participantes a uma “vida no Espírito Santo, nascendo de novo no Espírito como Jesus disse”.

Segundo ela, Este “nascer de novo significa uma vida nova que só Jesus pode dar pelo Seu Espírito Santo”. “Neste Pentecostes, cada um é chamado a viver esta vida, clamando ao Espírito Santo”, disse a pregadora.

Comemoração

Os coordenadores dos grupos de oração receberam das mãos da presidente do Conselho da RCC Amapá uma “Capelinha do Espírito Santo”, objeto decorativo e que faz parte dos preparativos para a celebração dos 50 anos da Renovação Carismática Católica no Brasil (RCC Brasil) em 2019.

A homenagem aos grupos foi um reconhecimento das atividades evangelizadoras promovidas como parte da missão da RCC no país.

Shows

O fim da programação foi dedicado para apresentações musicais de bandas locais de música católica. As bandas Som e Resgate, Misericórdia Dei e o Ministério Missionário Eterna Aliança foram as atrações da noite.

 

“Jesus tomou consigo Pedro, Tiago e João, e os levou sozinhos a um lugar à parte, sobre uma montanha. E transfigurou-se diante deles” (Mc 9,2)

Quando lemos estas palavras de Marcos também ficamos impressionados com o acontecimento. Diante dos olhos dos discípulos, Jesus “transfigurou-se”. O que acontece neste instante narrado pelo evangelista é a manifestação da glória escondida, transparecendo sua verdadeira essência. Jesus deixa visível para os discípulos mais íntimos sua natureza e glória divina.

Ele os chama à intimidade e nela permite que Pedro, Tiago e João os vejam glorioso ao lado dos grandes profetas do Antigo Testamento, Moisés e Elias. O pequeno número de seus seguidores neste relato mostra que Jesus se revela a quem Ele chama para perto de si. Assim, é na convivência com o Senhor que sua glória divina se manifesta aos nossos olhos e principalmente na vida de quem o segue. (mais…)

A Solenidade de Todos os Santos remonta o culto aos mártires nas igrejas do oriente. Mas, é por volta dos anos 608 – 615 que o papa Bonifácio IV inicia no ocidente o culto a estes e a outros tantos homens e mulheres,exemplosde santidade instituindo a tradição. A data de 1º de novembro foi oficializada pelo papa Gregório IV (827-844).

No Brasil, celebra-se esta festa no domingo posterior àdata, como é de costume para solenidades de grande importância que não caem em dia de feriado. É a celebração da fé da Igreja professada no Credo: “Creio… na comunhão dos santos!”

A festa tem como objetivo fazer memória a todos àqueles que se tornaram modelos de vida cristã e seguimento de Jesus. Estes são muitos, conhecidos e famosos, ou mesmo tantos outros santos anônimos, sem nome e sem rosto conhecidos, que chegaram à Pátria Celeste.

A santidade não é somente para alguns poucos “eleitos, místicos, grandes homens ou mulheres de vida interior”, como se fosse fora do alcance de qualquer simples operário, dona de casa, profissional ou do jovem estudante universitário. É um chamado a ser vivido por todos.

Como membros da Igreja de Cristo todos os batizados possuem a vocação à santidade. O Concílio Vaticano II ressalta isso quando afirma: “Todos os cristãos são, pois, chamados e obrigados a tender à santidade e perfeição do próprio estado”(LG, nº 42).

A exortação apostólica Christifideles laici diz que “a vocação à santidade” é a “perfeição da caridade”, ou seja, o amor a Deus em plenitude, amando-O e amando também o próximo. Diz ainda que “todos na Igreja, precisamente porque são seus membros, recebem e, por conseguinte, partilham a comum vocação à santidade” (CL, nº 16).

Não se pode perder de vista que o Senhor foi preparar uma morada na eternidade para seus seguidores (cf. João 14, 2s). Tão pouco, deixar de recordar as palavras de Paulo ao dizer que “nós, porém, somos cidadãos dos céus” (Fl 3, 20a), porque santidade é este destino: à Pátria Celeste.

Compreendendo que todos são chamados a viver a santidade, entende-se o Evangelho proposto para esta festividade: As bem-aventuranças (Mateus 5, 3-12). Todos podem alcançar o grau da santidade se, empenhando-se no perfeito amor e na justiça evangélica, suportarem as perseguições e tribulações deste mundo para glorificar Cristo em sua própria vida. Os santos tem cravado em seus corações estas palavras de Jesus.

Ele foi bem claro ao afirmar que “os de coração pobre”, “os que choram”, “os mansos”, “os que tem fome e sede justiça”, “os misericordiosos”, “os puros de coração”, “os pacíficos”, “os perseguidos”, “os caluniados por causa de meus nome” são “felizes” e devem alegrar-se e exultar,pois receberam uma grande recompensa nos céus. Empenhar-se em viver as bem-aventuranças é um dos principais ensinamentos de Jesus para ser santo.

Há papas, bispos e sacerdotes santos. Existem vários religiosos e religiosas. Mas há tantos outros de “vida normal”, pais e mães de família, jovens e crianças,que,dispostos a combater o pecado em sua vida ordinária,viveram de forma extraordinária a mensagem do Evangelho, seja em casa, no trabalho, na vida acadêmica; ou suportantando as tribulações da doença, dos sofrimentos; ou ainda, lutando por justas causas e por isso perderam sua vida. Estes todos, por se empenharem na santidade, alcançaram o céu. O que desejar senão que a humanidade inteira alcance esta graça.

A exortação de João Paulo II, afirma ainda que a “santidade comporta que a vida segundo o Espírito se exprime de forma peculiar na sua inserção nas realidades temporais e na sua participação nas actividades terrenas“ (CL, nº 17), sem dúvida, para os tempos de hoje, o Senhor concedeu um ótimo instrumento para a santificação do Seu povo: o batismo no Espírito Santo.

A experiência de Pentecostes agindo no coração de homens e mulheres na Igreja neste tempo tem gerado santos e santas do cotidiano, pois é o Espírito de Deus que santifica. Quanto mais alguém vive no Espírito, mas santificado por Ele é. Quanto mais se vive a santidade, mais próximo se está da Pátria Celeste.

Jefferson Souza

Grupo de Oração Ágape

Diocese de Macapá (AP)

_______________________________________________

Texto originalmente publicado no dia 31 de outubro de 2017 no Portal RCC Brasil

A história da Salvação está repleta de sinais que nos apresentam com clareza o “risco” que se corre quando o Evangelho é vivido autenticamente e com profetismo. Aquele que o assume como verdade entende que fazer a vontade de Deus é antes ser obediente aos seus desígnios e abandonar-se inteiramente a Ele. É o que nos mostra, por exemplo, João Batista com sua vida e, especialmente, com o seu martírio, recordado pela Igreja em 29 de agosto.

Obediência é o primeiro aspecto destacado na vida deste homem. João Batista cumpriu com destemor sua missão de “profeta do Altíssimo”, precedendo o Senhor e preparando-lhe o caminho (cf. Lc 1, 76). Por assim ter feito, pode ser identificado como o último dos profetas da antiga aliança, a “voz que clama no deserto” aos corações endurecidos antecedendo a revelação do Messias. É ele o “Elias” que haveria de retornar para anunciar a chegada do Salvador (cf. Ml 3, 23; Mt 17,12-13). É nesta perspectiva que pode ser visto também como o “maior dos profetas”, testemunho este que o próprio Jesus deu a seu favor ao afirmar que “entre os que nasceram de mulher, não surgiu ninguém maior que João, o Batista” (cf. Mt 11,11).

Ao assumir sua vocação profética, João esteve sujeito aos perigos deste mundo, à perseguição, ao escárnio, à humilhação; perigos estes que o levaram à prisão e ao martírio por causa da verdade que intrigava os corações mais fechados. Ele viveu este chamado numa entrega total a vontade de Deus. (cf. Mt, 3,12; Lc 3,1-22; Mc 1,1-8). Sabia bem qual era seu papel naquele momento ao declarar: “(…) Depois de mim vem outro mais poderoso do que eu, ante o qual não sou digno de me prostrar para desatar-lhe a correia do calçado” (Mc 1,7).

No deserto chamava o povo a penitência, a voltar para o Senhor, reconciliando-se com Ele. É neste percurso que realizou o anúncio mais significativo de sua vida ao ter indicado aos seus seguidores: “Eis o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo!” (Jo 1, 29b), referindo-se a Nosso Senhor Jesus Cristo.

O segundo aspecto a ser destacado é o abandono em Deus. Esta foi outra grande característica em João Batista. Abandonou-se por inteiro, sem reserva para obedecer aos desígnios do Senhor.

Sabe-se que o status de seu pai, Zacarias, sacerdote do Templo de Jerusalém, conferiria a João Batista a herança também de ser ele sacerdote e oferecer os sacrifícios pelo povo; mas, mesmo a isto ele deixou. Abandonou suas obrigações, sua tradição, seus bens e tanto mais para dedicar-se inteiramente ao chamado de pregar o batismo de conversão.

Este abandono tratava-se de uma confiança infinita na providência e manifestação da graça de Deus em seu favor, como o fora em favor de tantos outros profetas em Israel. O ápice desta atitude de despojamento à graça divina com certeza foi o próprio martírio.

Segundo Marcos, “o próprio Herodes mandara prender João e acorrentá-lo no cárcere, por causa de Herodíades, mulher de seu irmão Felipe, com a qual ele se tinha casado. João tinha dito a Herodes: Não te é permitido ter a mulher de teu irmão” (Mc 6,17-18). Preso injustamente, mesmo com a admiração de Herodes, foi decapitado. A soberba de Herodíades, em não aceitar a denúncia de João sobre sua união ilegítima com o rei, e também a covardia Herodes, apresentam o cenário do martírio de João.

“Dá-me aqui, neste prato, a cabeça de João Batista”, (Mt 14, 8) pede a filha de Herodíades ao rei. De acordo com Mateus, “o rei entristeceu-se, mas, como havia jurado diante dos convidados, ordenou que lha dessem; e mandou decapitar João na prisão” (Mt 14, 9-10). O Batista entrega sua vida nas mãos daqueles que lhe fecharam o coração e decidiram não acolher seu apelo à conversão.

A obediência e o abandono de João Batista servem a nós cristãos destes tempos como um grande sinal. O quanto estamos dispostos a viver os valores do Evangelho em uma total atenção aos ensinamentos de Cristo? Quantos de nós estamos disponíveis a assumir os riscos para isso ou mesmo perder prestígios, fama, bens, posições, influência para defender e anunciar a verdade? Estaríamos nós dispostos a dedicar nossa vida inteira nos abandonando à graça de Deus e a sua vontade? São algumas interrogações que a vida e o martírio de João levam a fazer.

Enquanto seguidores de Cristo nós também somos neste mundo “precursores”. Hoje é a voz do cada cristão que clama no deserto, e muitos não só clamam, mas bradam com a própria vida, na investida pela conversão das pessoas a Jesus Cristo. Em cada um a força do Espírito Santo se manifesta para que também o testemunho dos cristãos hoje seja tão profético quanto de João, anunciando a verdade e denunciando as injustiças e o pecado atrelado em nossas estruturas e no coração dos homens.

Mas não nos iludamos, “o servo não é maior que seu senhor” (Jo 15, 20), também nós seremos “mártires”, talvez não como João Batista, e certamente muitos não o serão da mesma forma que ele. Mas, o seremos diante das injustiças, perseguições, intolerâncias e investidas contra nós nestes tempos. Os dias de hoje nos exigem uma autêntica vivência das virtudes evangélicas, a defesa da fé e dos valores ensinados por Nosso Senhor Jesus Cristo.

Somos os “profetas do Altíssimo” diante de um mundo muitas vezes incrédulo e de pessoas de corações endurecidos. É a estes que o Senhor nos envia para preparar sua vinda gloriosa e o Reino definitivo. Mártir, sobretudo, significa “testemunha”. O martírio de nosso tempo muito mais que “perder a cabeça” ou derramar seu sangue, como vem acontecendo já em muitos lugares, é também resistir aos ataques do mundo contra nós. Confiantes na Sua graça, sejamos obedientes a Deus e nos abandonemos inteiramente a Ele, para assim testemunhar sua presença com a nossa própria vida.

Jefferson Souza

Coordenador do Grupo de Oração Ágape

Diocese de Macapá (Amapá)

_____________________________________________________

Texto originalmente publicado no dia 29 de agosto de 2017 no Portal da RCC Brasil