Editora pede ao Vaticano que Papa responda acusação de heresia

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Opinião de 19 padres e teólogos em carta aos bispos repercutiu no mundo inteiro

MACAPÁ (AP) | Blog/com Agências | Atualizado em 03.04.2019 – as 13h58

O fundador e o diretor executivo da editora católica Ignatius Press publicaram na internet um vídeo no qual pedem ao Vaticano uma resposta formal à carta de 19 sacerdotes teólogos que acusam o Papa Francisco de heresia. O Pedido à Santa Sé exige que o Papa não ignore as acusações e responda prontamente os pontos levantados.

O sacerdote e fundador da editora norte-americana, Joseph Fessio afirma que se trata de um “documento importante” e que “algo deve ser dito sobre isso”. O CEO da editora, Mark Brumley destaca que é algo que alguém de alguma importância na Santa Sé deve abordar” para esclarecimentos.

Mark Brumley afirma que Ao lê-lo, não estava convencido de que tivéssemos uma heresia formal ou que as citadas declarações do Santo Padre fossem materialmente heréticas”, mas, segundo o CEO, “por causa dos argumentos no documento e das pessoas que os apresentam, acho que isso é algo que deve ser levado a sério “.

Entre os signatários da carta estão reconhecidos nomes católicos conservadores como os filósofos John Rist e Dr. Peter Kwasniewski, e teólogos como padre Aidan Nichols, padre Thomas Crean, que na opinião da chefes da editora católica, são pessoas de “alto nível” no pensamento eclesial.

A Sala de Imprensa do Vaticano não se pronunciou sobre o assunto. Em 2017 um outro grupo considerado conservado já havia se visto “obrigados a dirigir a Sua Santidade uam correção, devido à propagação de heresias produzidas pela Exortação Apostólica Amoris laetitia e de outras palavras, atos e omissões” de Francisco, segundo texto com 250 signatários.

Outras acusações

Em 2016 a cruzada de acusações foi liderada por quatro influentes cardeais ligados à ala conservadora da Igreja e tinham também como pontos contrários à Amoris leatitias. Os já falecidos Carlo Caffarra e Joachim Meisner,o cardeal aposentado Walter Brandmüller e Raymond Leo Burke, este último ainda na ativa.

Jefferson Souza

Jefferson Souza