Imagens sacras católicas serão retiradas do Palácio da Alvorada, diz Jornal

Decisão teria partido da futura primeira-dama que é evangélica

Macapá (AP) | Blog – com Agências | Atualizado em 17.12.2018 | Às 11h11

De acordo com a reportagem da Folha de São Paulo, desta segunda-feira, 17, imagens sacras católicas devem ser retiradas do espaço público do Palácio da Alvorada a pedido da futura primeira-dama Michele Bolsonaro. A assessoria da primeira-dama não confirmou a informação.

Contudo, a Folha confirmou a informação com o vice-presidente eleito General Hamilto Mourão. Algumas obras devem ser levadas para o Palácio do Jaburo, residência oficial do vice-presidente. Uma das imagens é a de Santa Bárbara, “padroeira da artilharia”, segundo Mourão.

Evangélica praticante, pertencente a Igreja Batista Atitude, do Rio de Janeiro, Michele teria cogitado a possibilidade das obras serem remanejadas para outro local. A decisão teria relação com sua religião.

As doutrinas católica e protestante divergem sobre o culto de imagens. Para os católicos elas não representam adoração, enquanto que para evangélicos, o culto de imagens representa idolatria. Outra discussão em torno da decisão é o fato que as obras representam expressões artísticas e um patrimônio público do país e não a expressão confessional de determinada religião.

Segundo a Folha de São Paulo, as peças são um par de anjos, que estão na biblioteca do Palácio, e quatro imagens de santos presentes na sala de música e de estado. Este espaço são considerados ambientes públicos, diferentes da área privada reservada para a família do presidente.

Nas redes sociais as repercussão dividiu as opiniões de apoiados. Sob a bandeira do legado cristão e com forte apoio evangélico, Jair Bolsonaro também foi eleito com significativo apoio da chamada “direita católica”. A decisão da primeira-dama pode marcar a divisão entre o grupo que elegeu o marido com o discurso de união também na fé.

Nesta terça-feira, 18, o presidente eleito Jair Bolsonaro disse em seu perfil no Facebook que foi “surpreendido com a notícia que minha esposa retiraria imagens católicas da futura residência oficial devido sua religião”. Segundo Bolsonaro, ele e a esposa Michele possuem objetos que lembram a fé de cada um em casa. Bolsonaro declara-se católico no post.

Foto: Reprodução Facebook

 

Jefferson Souza

Jefferson Souza